O dia em que Samuel Rosa me chamou de moleque

30 Set

Este tem que ser em primeira pessoa.

Acabo de chegar (atordoado) do que deveria ter sido uma entrevista individual com o Skank, por conta do lançamento do oitavo disco da banda, Estandarte, no escritório da Sony BMG, no Rio. Antes de começar o bate-papo com a banda da qual sou fã (afinal, o título de primeiro show de pop rock da minha vida, em 1994, em Ipatinga-MG, ninguém tira dos caras), Samuel Rosa tomou a palavra. Para cada pergunta, uma resposta balbuciada por mim.

Você é de Belo Horizonte? Você trabalhou lá em algum lugar? Rádio, site? Você que fez uma montagem com o Henrique? Aquilo que você fez foi molecagem. Quer saber? Não vou falar com você. Não tem clima. Você abusou da boa vontade do Henrique. O que você fez foi uma molecagem. Se você acha que a banda é desprezível, não falo com você.

Toda defesa foi atropelada por Samuel Rosa, que levantou a voz, saiu da sala e foi muito hostil. Tentei argumentar também com o tecladista Henrique Portugal, que desviou o olhar e disse que tinha ficado chateado por ter “tirado as falas do contexto”. A molecagem foi feita HÁ DOIS ANOS para o programa do Pílula Pop, então veiculado pelas rádios UFMG Educativa (104.5 FM, da mesma Belo Horizonte do Skank), PeloMundo.com.br e a goiana Universitária 870 AM (da UFG). No dia da coletiva de imprensa do disco Carrossel, em BH, gravei com Henrique no fim da entrevista. Disse que iria fazer uma matéria sobre músicas de outros artistas que se pareciam com as do Skank. Ele, simpático, topou. Depois disso, fiz outra entrevista com ele, por e-mail, publicada no mesmo Pílula Pop. Escute a molecagem clicando aqui.

7 Respostas to “O dia em que Samuel Rosa me chamou de moleque”

  1. marianamarques 30 Setembro, 2008 às 10:37 pm #

    jesus! não tô crendo! tô tomando as dores daqui. poxa, o henrique topou, foi simpático, a matéria ficou muito bacana. medinho do samuel.

    ao menos ele não te chamou de leke né?
    =*

  2. Gustavo 30 Setembro, 2008 às 10:52 pm #

    Tira essa farda preta!

  3. monica 2 Outubro, 2008 às 1:04 am #

    báfon!

  4. anna virginia balloussier 3 Outubro, 2008 às 12:45 am #

    “E NÃO ME CHAME DE MOLEQUE!” (gee rocha, no vmb 2009)

    então.

  5. Datenna 6 Outubro, 2008 às 1:05 pm #

    Esse Samuel é um Xarope as vzs…Po podia ser mais cordial e não se levar tão a sério!!!
    é tudo um bando de copiadores msmo!!!Isso é o pop, antropofagico por natureza!! e sempre foi assim!!
    Vai plantar batatas Samuel…Estamos no novo mundo, onde a arte morreu infelizmente!!
    Mas o colega da entrevista não tem culpa nenhuma da sua frustração!!!

  6. f. 26 Julho, 2009 às 4:59 am #

    a arte morreu?!
    cala a boca seu otário!!
    e porra!! frustração?! Skank é uma puta banda bem sucedida!! com 15 anos de carreira e a unica remanecsente no mainstream da sua época!!

    e tu ainda por cima tem o nome de DATENNA porra!!
    só pode ser piada!!

  7. Lombardi 15 Junho, 2010 às 12:36 pm #

    Pelo menos ele não te chamou de “Pata”, como o Alexandre Frota fez com a Mari Alexandre na Casa dos Artistas. http://www.youtube.com/watch?v=5-TE9BockLo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: